Livro polêmico de J.K. Rowling: Morte Súbita

Não é segredo que sou grande fã da J. K. Rowling. Harry Potter me acompanha desde a adolescência e marcou muito a minha vida. Porém, nunca tinha dado chances para os outros livros que não fazem parte deste universo mágico.

O livro Morte Súbita há tempos está na minha lista de leitura, mas sempre procrastinei a leitura por receio de me desencantar com a autora. Afinal, há duras críticas sobre o livro. É do tipo ou você ama ou você odeia.

Sinopse: Este livro de J.K. Rowling conta a história de Pagford e seus habitantes, que, após a morte inesperada de Barry Fairbrother, membro da Câmara do vilarejo, fica em choque. Pagford é, aparentemente, uma pacata cidade inglesa com tudo o de mais comum e organizado que pode haver, mas o que está por trás da fachada bonita é uma cidade em guerra – uma guerra de classes, credos, gerações e interesses. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com seus maridos, professores em guerra com seus pupilos – Pagford não é o que parece ser. O assento vazio deixado por Barry no conselho municipal logo se torna o catalisador para a maior guerra que a cidade já viu. Quem triunfará em uma eleição repleta de duplicidade, paixão e revelações inesperadas?

O livro se inicia já com a morte súbita de Barry Fairbrother. Um cara casado, do bem, membro do membro da Câmara do vilarejo, treinador da equipe de remo e defensor do bairro de Fields, região mais pobre e com altos índices de criminalidade.

Mas por que este livro é tão polêmico, por que algumas pessoas amam e outras não conseguem nem comentar?

Narrativa

A narrativa do livro é bem lenta no início. Após a morte de Barry, Rowling descreve minuciosamente como transcorreram os dias seguintes em cada núcleo de personagens. Confesso que quase desanimei porque parecia que a história não sairia nunca do lugar, cheguei até a fazer um pouco de leitura dinâmica. Mas depois que você engata e conhece todos os personagens faz todo o sentido esse “lenga-lenga”. Além disso, a história é contada em terceira pessoa, mas com o olhar de diferentes personagens, assim você acaba conhecendo cada um deles mais profundamente.

Personagens

Outra coisa que me confundiu muito no início foi o número de personagens. Quanta gente tem nessa história, meu Deus! Precisava disso? Pior que precisava. Todos eles têm papéis importantes na trama e você com o tempo acaba conhecendo cada um deles. Alguns vão te causar repulsa, outros empatia e depois você muda de opinião, mas no final, eu prometo que tudo vai fazer sentido, ok?

Crítica social

O que me chamou muito a atenção neste livro é a crítica social. A escritora mostra de forma magistral a briga entre os ricos e os pobres. E a família pobre protagonista desta trama é formada por uma mãe drogada, uma adolescente problemática e um menininho de três anos e meio. A princípio você até julga essas pessoas, mas a cada capítulo vai conhecendo mais profundamente seus problemas, suas dores, sua história. E o resultado para mim foi indignação. Por que fizeram tão pouco por eles?

O livro me surpreendeu, J. K. Rowling continua sendo uma das minhas escritoras predileta e mostrou que seu talento vai muito além de Harry Potter. Morte Súbita é um livro denso com um final que deixa a boca meio amarga e uma sensação de vazio, mas acredito que isso seja proposital.

Título: Morte Súbita
Título original: The Casual Vacancy
Autora: J.K. Rowling
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2012
Páginas: 504

Comidinha: O livro tem sabor de rúcula crua e sem tempero!

Posts Recomendados

Deixe um Comentário